quinta-feira, 2 de agosto de 2007

DO AMANUENSE PAULO HENRIQUES

Ao longo dos últimos anos, várias vezes o amanuense Paulo Henriques, bem como o Museu que ainda finge dirigir, o Museu Nacional do Azulejo, foram objecto de textos neste blogue.

Traçar um "retrato" deste personagem, bem de quem o apoia (a ministra Isabel e o seu fiel serventuário Oleiro) torna-se demasiado repetitivo.

Aqui fica o link para a maior parte dos texto referidos.

No entanto, e para aguçar o apetite, aqui ficam citações de alguns desses textos:

- 6.518
Foi este o fantástico número de portugueses que em 2006 visitaram o Museu Nacional do Azulejo.
Uma média de 543 por mês, 21 por dia.
Um Museu Nacional que consegue atingir objectivos tão ambiciosos, tem que ter um Director altamente dinâmico, empenhado em atrair para o "seu" (nosso) Museu o maior número possivel de visitantes nacionais.

- No mês de Maio, a "Festa dos Museus" registou um aumento de visitantes nacionais de cerca de 300%.
Pelo menos uma coisa Paulo Henriques, director do MNA, sabe fazer: festas !

- 25 de Janeiro de 2006
Dalila Rodrigues é, nitidamente, uma carta fora do baralho.
Enquanto o seus "inferiores" directores de museus de Lisboa ("inferiores" no sentido de que Dalila Rodrigues é a única com um cargo de Directora-Geral, enquanto todos os outros seus pares são Directores de Serviço - e como isto pesa na função pública!) dizia a FB enquanto Dalila Rodrigues pensa o museu que dirige no sentido de atrair cada vez mais público e dessa forma atingir os objectivos para os quais foram criados os museus nacionais, os directores do Museu do Chiado e do Museu do Azulejo, dois dos mais representativos Museus do IPM, pensam em... bem, vocês sabem o que a Formiga Bragante pensa sobre o assunto !

E Dalila Rodrigues, sem o pretender, (pensa a Formiga Bargante), está a colocar Manuel Oleiro, Director do Instituto Português de Museus, à beira de um ataque de nervos.

Se um museu como o MNAA, depois de anos de marasmo, consegue criar um novo dinamismo com uma nova direcção, como pode Manuel Oleiro continuar calado face à situação vivida no Museu do Chiado, do Azulejo e Conímbriga, entre outros ?

Tempos difíceis se vão viver nos Museus Nacionais tutelados pelo IPM, mas em particular para Dalila Rodrigues, face à equipe "Manuel Oleiro+Paulo Henriques+Pedro Lapa & Cª"

E estes são, apenas, alguns apontamentos do que aqui já se escreveu sobre o Instituto Português de Museus e Manuel Oleiro, o Museu Nacional do Azulejo e o amanuense Paulo Henriques (os nossos textos favoritos sobre o MNA e o amanuense Paulo Henriques intitulam-se "Arte Povera no Museus Nacional do Azulejo).

No primeiro link fornecemos uma ampla escolha.

Divirtam-se, se puderem...

2 comentários:

João Barbosa disse...

Nem mais... Demasiada tristeza.

Mefistófles(Ele mesmo) disse...

Não confunda cara formiga a demissão da Directora do MNAA, triste e desonesta por parte da tutela,com outras coisas.

O seu (dela) trabalho foi inovador. Mas... a formiga não sai do dos corredores térreos e fedorentos que conhecemos.

Por muito que o Director do Museu do Azulejo possa não ser brilhante e somente obediente, isto na sua opinião, não merece também ser rebaixado a amanuense.

Nem tudo serve os mesmo fins, nem é sequer ético este aproveitamento de quem se deve sentir amputado no seu projecto e no seu empenho, como deve ser o caso da Directora vilmente demitida.

Nem tudo é arma formiga rastejante.